Yoga

Pré-requisitos:

Comprovar com 1 (um) atestado assinado por seu instrutor:

Nível 1: Prática de no mínimo 2 (dois) meses.

Nível 2: Prática de no mínimo 6 (seis) meses.

Nível 3: Prática de no mínimo 1 (um) ano.

 

  1. Apresentar a origem do yoga, seu significado e objetivos.
  2. Explicar quem foi Patanjali e o nome do seu sistema de yoga.
  3. Explicar o que são e demonstrar, pelo menos, 5 (cinco) asanas.
  4. Explicar o que são os pranayamas e quais seus objetivos.
  5. Realizar, juntamente com sua seção ou matilha/patrulha, 3 (três) tipos de mantras, explicando seu significado.
  6. Realizar a respiração abdominal e relatar seus benefícios para a saúde.
  7. Elaborar 1 (um) quadro com algumas palavras em sânscrito e seu significado em português.
  8. Explicar o que é ahimsa (a não-violência), exemplificando algumas maneiras de como podemos agir conforme este princípio em nosso dia a dia.
  9. Explicar quais os benefícios da meditação para a saúde física e emocional das pessoas, realizando uma prática meditativa.

Xadrez

  1. Demonstrar conhecimento da história do xadrez, sua origem e evolução.
  2. Conhecer os principais enxadristas mundiais da atualidade.
  3. Conhecer e apresentar 1 (um) trabalho sobre “As Leis do Xadrez.”
  4. Ensinar a pelo menos outros 5 (cinco) jovens, preferencialmente do Grupo Escoteiro, a jogar xadrez.
  5. Demonstrar que sabe “rocar”, o que é “roque maior” e “roque menor”, os casos de empate e promoção de peão.
  6. Demonstrar conhecimento sobre aberturas, defesas, desenvolvimento e finais.
  7. Organizar 1 (um) torneio de xadrez na seção, com pelo menos 6 (seis) participantes, responsabilizando-se pela montagem da tabela e pelo registro das partidas.
  8. Ter participado pelo menos de 2 (dois) torneios promovidos por entidades oficiais (confederação, federação, liga, órgão do governo, fundação municipal de desportos etc.).
  9. Jogar simultaneamente e com bom desempenho contra 3 (três) adversários escolhidos pelo examinador.

Voleibol

  1. Apresentar a história do voleibol, destacando o voleibol brasileiro e citando seus principais títulos em quadra e na areia.
  2. Escrever uma breve biografia sobre 1 (um) jogador (ou treinador) de voleibol que você considere relevante.
  3. Apresentar as regras básicas do voleibol e adaptá-las para 1 (um) jogo desenvolvido com sua seção.
  4. Apresentar os principais esquemas táticos e destacar sua importância para o sucesso de 1 (um) time em uma partida.
  5. Assistir uma partida de voleibol com o examinador e explicar durante o jogo os nomes e funções das posições dos jogadores em quadra.
  6. Demonstrar, enquanto joga, os fundamentos técnicos essenciais para a prática do voleibol.
  7. Assistir a 1 (um) jogo de voleibol televisionado, fazer anotações, e nos intervalos fazer 1 (um) retrospecto dos melhores lances e assistir a 1 (um) jogo em 1 (um) ginásio, apresentando 1 (um) relatório no término.
  8. Fazer uma visita a 1 (um) ginásio com quadra de voleibol em 1 (um) dia que não haja jogo e conhecer suas dependências.
  9. Explicar as regras de segurança ao assistir a uma partida de voleibol em 1 (um) ginásio, o que deve ser feito para evitar confusões e tumultos, dando sua opinião sobre o que os torcedores devem fazer para promover a paz nos ginásios.
  10. Jogar ou atuar como treinador em 1 (um) jogo de voleibol, sendo capaz de reconhecer os gestos dos árbitros e avaliando sua participação.
  11. Apresentar pelo menos 2 (dois) sistemas de pontuação de campeonatos regionais e nacionais.
  12. Organizar 1 (um) torneio de voleibol, na modalidade de sua preferência, na sua seção ou com outros grupos escoteiros e convidados, com no mínimo 4 (quatro) times, utilizando 1 (um) dos sistemas de pontuação apresentados no item 11.

Vela

  1. Reconhecer 8 (oito) diferentes tipos de embarcações locais e de barcos à vela.
  2. Apontar e dar o nome das partes e o uso de velas, o massame fixo e o de laborar mastros e vergas, de 1 (um) tipo de embarcação à vela.
  3. Navegar em 1 (um) barco à vela sabendo: virar em roda e por davante, içar os panos, rizar, dar velas, colher as velas, seguir uma direção e encostar, qualquer que seja a posição do vento, ancorar corretamente, navegar em bolina cochada e amarrar- se a uma boia.
  4. Velejar 1 (um) total de vinte horas em atividades escoteiras, apontando no diário de bordo da embarcação, realizando rodízio das funções embarcado. Saber montar, desmontar e faxinar a embarcação utilizada.
  5. Explicar as regras de segurança aplicáveis à navegação à vela para 1 (um) “veleiro amador” citando o RIPEAM e explicando-as por meio de desenhos.
  6. Mostrar como se dobra ou acondicionam as velas guardando-as corretamente após o uso.
  7. Explicar a maneira correta de arrumar o pessoal e a carga em uma embarcação de modo a compensá-la convenientemente.
  8. Demonstrar como atirar de uma embarcação 1 (um) cabo para reboque, como dar e receber reboque e compreender o uso de 1 (um) ferro (âncora) de mar, largar e calcular o comprimento da amarra a ser utilizada.
  9. Explicar corretamente as definições previstas nas regras atuais de regata da ISF (International Sailing Federation), bem como os sinais de regata e suas aplicações para atenção, preparação, largada, regra de condução de uma regata e regra de outros requisitos quando em regata.

Triatlo

Pré-requisitos: Saber nadar e saber andar de bicicleta.

 

  1. Apresentar uma pesquisa sobre a história do triatlo.
  2. Relatar as normas e distancias oficiais do triatlo.
  3. Montar e apresentar 1 (um) painel (texto, fotos, etc.) sobre as categorias oficiais do aquatlo, do duatlo e do.
  4. Realizar a sequência: nadar cinquenta metros, pedalar oitocentos metros e correr quatrocentos metros.
  5. Realizar a sequência: nadar cem metros, pedalar 2 (dois) quilômetros e correr seiscentos metros.
  6. Realizar a sequência: nadar duzentos e cinquenta, pedalar 5 (cinco) quilômetros e correr 1 (um) quilômetro.

 

ATENÇÃO: os itens 4, 5 e 6 só poderão ser realizados com autorização médica; utilização de todos os equipamentos de segurança necessários; supervisão de 1 (um) profissional de educação física com registro no CREF.

Tênis de Mesa

  1. Apresentar a diferença entre tênis de mesa e ping-pong.
  2. Apresentar os tipos de pegada na raquete.
  3. Apresentar o sistema de pontuação de 1 (um) jogo e pelo menos 3 (três) regras do esporte.
  4. Apresentar a história do tênis de mesa.
  5. Visitar 1 (um) centro de treinamento e fazer uma aula experimental e apresentação 1 (um) relatório sobre a visita.
  6. Fazer 1 (um) relatório sobre 1 (um) mesatenista brasileiro relevante.
  7. Demonstrar que conhece os fundamentos básicos do tênis de mesa.
  8. Dominar pelo menos 5 (cinco) terminologias usadas neste esporte.
  9. Ensinar uma pessoa durante 3 (três) dias os conhecimentos básicos (teóricos e práticos) sobre o tênis de mesa.
  10. Atuar como árbitro num jogo de tênis de mesa.
  11. Organizar 1 (um) campeonato de tênis de mesa no seu Grupo Escoteiro ou seção.
  12. Organizar ou participar de 1 (um) amistoso ou campeonato com pelo menos 4 (quatro) membros do seu Grupo Escoteiro junto com outra associação (escola, Grupo Escoteiro, igreja, clubes).

Tênis

Pré-requisitos:

Comprovar com 1 (um) atestado assinado por seu professor ou treinador:

Nível 1: Prática de no mínimo 6 (seis) meses.

Nível 2: Prática de no mínimo 2 (dois) anos.

Nível 3: Prática de no mínimo 3 (três) anos.

 

  1. Demonstrar conhecimento da história do tênis, a origem e evolução.
  2. Demonstrar como é feita a classificação da ATP e quais são os primeiros colocados na atualidade e a melhor colocação dos brasileiros do gênero masculino e feminino no ranking
  3. Relatar as regras do tênis.
  4. Explicar como funciona a pontuação dos jogos.
  5. Ter participado de pelo menos duas competições.
  6. Dominar as terminologias (palavras) usadas no esporte.
  7. Demonstrar que conhece os fundamentos básicos do tênis.
  8. Dominar as táticas do jogo de tênis, o código de conduta e o código de tempo.
  9. Organizar uma atividade para sua seção com o objetivo de ensinar 1 (um) pouco do esporte.

Técnicas Verticais

  1. Saber fazer os seguintes nós e suas aplicações: Nó de fita, 8 (oito) Duplo, Pescador Duplo, Prussik e nó UIAA.
  2. Exibir para a matilha/patrulha e explicar o uso dos principais equipamentos próprios para prática de descida e subida por cordas, com finalidade de lazer.
  3. Conhecer as características das cordas estáticas em sua durabilidade, resistência, funcionalidade e confecção.
  4. Demonstrar capacidade técnica para transpor 1 (um) nó de junção de cordas, estando no mínimo a 9 (nove) metros de altura.
  5. Montar ancoragem principal e reserva, e coordenar e orientar a descida em rapel dos jovens da matilha/patrulha com altura mínima de quinze metros, supervisionado pelo examinador ou adulto conhecedor das técnicas de segurança.
  6. Realizar rapel autoblocável com altura mínima de quinze metros, com emprego de aparelho de descida não automático, montando pelo menos 1 (um) desvio e 1 (um) fracionamento.
  7. Subir no mínimo quinze metros de altura por cordas, utilizando técnica apropriada e segura.
  8. Realizar uma apresentação para matilha/patrulha, sobre a gestão de riscos do uso de equipamentos e técnicas empregadas nas atividades em alturas com cordas.
  9. Demonstrar conhecimento de física aplicada ao sistema e aos pontos de ancoragem.
  10. Apresentar fotos de impactos ambientais, causados pela atividade de rapel praticado na natureza, expondo argumentos de boas práticas neste contexto.
  11. Executar manobra de retirada de vítima, pendurada em corda, estando a no mínimo 6 ((seis) metros do chão.
  12. Ter montado as ancoragens e descido de rapel em uma cachoeira.

Tecido Acrobático

Pré-requisitos: Estar frequentando aulas de tecido acrobático por 1 (um) período não inferior a 1 (um) ano, devidamente comprovado pela escola/academia.

 

  1. Apresentar a história do Tecido Acrobático enquanto modalidade circense.
  2. Apresentar 1 (um) trabalho sobre as diferentes modalidades do Circo Acrobático.
  3. Explicar o que o Trapézio e a Lira têm em comum com a modalidade de Tecido Acrobático.
  4. Executar 3 (três) truques no Tecido Acrobático no mínimo a 1,5 metros de altura, indicando o grau de dificuldade e quais os cuidados necessários para garantir a segurança.
  5. Apresentar fotos ou vídeos obtidos em duas apresentações públicas que já tenha participado.
  6. Assistir e comentar, durante ou depois, uma apresentação de Tecido Acrobático.
Skip to content