Escoteiros de Erechim apresentam projeto nos Estado Unidos

3 maio 2017

Uma delegação formada por 12 jovens, com idades entre 14-18 anos e três instrutores do grupo de escoteiros Tupinambás de Erechim, comemoram o Dia do Escoteiro (23 de abril) de uma forma diferente, neste ano. Os representantes da “Capital da Amizade” foram escolhidos para apresentar um trabalho sobre descarte de medicamentos na Escola Pontiac Twp. High School da cidade de Pontiac, Illinois nos Estados Unidos, onde acontece um dos mais importantes eventos ambientais da América do Norte.

Segundo o coordenador do projeto e especialista em Educação Ambiental (UFSM), Paulo Roberto Hübner, a participação no evento tem por objetivo mostrar os diversos projetos desenvolvidos pela Tropa Sênior do Tupinambás e trazer conhecimento e experiência que será compartilhada com todo o grupo. “Este projeto propõe a implantação do Programa de Descarte Consciente de Medicamentos na região do Alto Uruguai. Entre as ações propostas está a realização de visitas nas residências levando material, explicativo sobre a importância do descarte consciente dos medicamentos, alertando a população sobre o perigo da contaminação da água e do meio ambiente”, ressalta Hubner.

Apresentação do grupo de escoteiros nos Estados Unidos, ocorreu na tarde da última segunda-feira (24). A previsão de retorno dos brasileiro é para o próximo domingo (30).

De acordo com coordenador do 18° Distrito Escoteiro do Rio Grande do Sul, Claudio Madalozzo, a iniciativa dos jovens erechinenses é muito importante e considerada como inédita na região. É um fato que nos deixa muito orgulhosos. Esperamos que assim como este outros apareçam em breve e para isso contamos com o apoio da comunidade, principalmente de adultos que desejam trabalhar como voluntários”, ressalta Madalozzo.

Publicidade
Erechim
Escoteiros de Erechim apresentam projeto nos Estado Unidos
Por Leandro Zanotto [email protected]
Foto Divulgação
26/04/2017 07:00

Um pouco de história

Feliz pelo desempenho do grupo erechinense, Claudio Madalozzo, lembra da história do movimento escoteiro, fundado em 1907 na Inglaterra pelo militar britânico Robert Baden-Powell. “Ele foi inspirado por valores como cidadania, honra, solidariedade e altruísmo. O fundador escolheu o cavaleiro São Jorge como padroeiro dos escoteiros. Por esse motivo, 23 de abril, Dia de São Jorge, foi a data escolhida para a comemoração do Dia do Escoteiro”, lembra Madalozzo.

No Rio Grande do Sul o escotismo surgiu em 1913, com a criação do Grupo Escoteiro George Black, sediado na Sogipa, em Porto Alegre. No Alto Uruguai o trabalho chegou há 64 anos, com há fundação do grupo Tupinambás e posteriormente Acauã, que em outubro completa 36 anos de atividades. “Já tivemos mais de dez grupos, hoje infelizmente são apenas dois”, ressalta o coordenador. De acordo com Organização Regional dos Escoteiros, no Rio Grande do Sul, atualmente existem mais de 13 mil escoteiros no estado, destes 200 estão no Alto Uruguai.

Formação

O coordenador lembra que além de projetos que buscam cuidar do meio ambiente como o apresentado pelo grupo erechinense nos EUA, os grupos de escoteiros também buscam manter a inclusão social e a união de jovens, crianças e adultos, buscando sempre a formação de um cidadão. Hoje, a partir dos seis anos e meio, a criança inicia no grupo de escoteiros e permanece até os 21 anos. Com atividades que seguem por todo o ano o escotismo não exige um período exato para se escrever”, pontua o coordenador.

Madalozzo explica também que o trabalho dos escoteiros, pode ser considerado como um grande jogo ao ar livre, onde os jovens dividem-se em pequenos grupos chamados de patrulhas e desenvolvem diversas atividades que lhes dão a oportunidade de desenvolver habilidades e conhecimentos. “São acampamentos, jornadas, trilhas, aventuras e desafios em grupo que a cada dia os tornam mais empoderados e cientes das suas responsabilidades, tornando-os cidadãos ativos dentro e fora do escotismo”, destaca. O coordenador destaca a importância da atividade em grupo, principalmente a que é realizada em família. “Queremos que todos participem para provocar esta união, por isso, sempre temos vagas para adultos que desejam trabalhar como voluntários, em que oferecemos cursos de preparação”, ressalta.

Em 2017 os escoteiros comemoram 110 anos da fundação no Brasil e para celebrar a data histórica, o coordenador regional destaca que estão sendo preparados diversos encontros, para que os participantes possam se conhecer e trocar experiencias. “Nosso objetivo sempre será a troca de conhecimento e a criação de uma cidadão melhor”, finaliza.

Fonte: jornalbomdia.com.br

Skip to content