Escoteiros do Brasil doam “Perucas de Princesa” para casa de apoio de pacientes com câncer

23 julho 2018

No último dia 20 de julho de 2018 foi realizada a entrega de perucas confeccionadas pela Campanha Perucas de Princesa mobilizada pelos Escoteiros de Brasil. A casa de apoio beneficiada foi o Instituto Família Boeira em Barretos/SP (sede do 7º Jamboree Nacional Escoteiro). O local acolhe crianças que estão em tratamento de câncer, pacientes de 0 a 21 anos de idade. Na entrega estiveram presentes o Presidente dos Escoteiros do Brasil, Alessandro Garcia Vieira; a vice-presidente, Ilka Denise Rosseto Gallego Campos e a Diretora Nacional de Métodos Educativos, Carmen Barreira.

O projeto começou com a arrecadação de lãs e depois escoteiros e mulheres voluntárias confeccionando as perucas. “O que mais chamou a atenção foi a vontade das pessoas ajudarem em uma doação diferente. Porque o costume é arrecadar roupas e alimentos”, disse Carmen Barreira. As perucas imitam os cabelos das famosas princesas de filmes: são coloridas e enfeitadas. “É gratificante essa oportunidade de ver as pessoas felizes e empoderar as meninas desde pequenas”, completou Carmen. O projeto continua recebendo doações de lãs e outras formas de ajuda na confecção das perucas. Em breve, haverá novas doações para casas de apoio na luta contra o câncer.

Atualmente, o Instituto mantém-se apenas de doações e o bazar de roupas. Os pais não pagam nada, ajudam com a manutenção, limpeza e revezam a preparação do almoço. Contam também com auxílio de estagiários da faculdade. “Primeiramente, eu quero agradecer de coração por vocês estarem aqui com a gente. Que Deus possa abençoar todos que estão envolvidos nesse projeto, ao pessoal que fez essas peruquinhas que são uma graça. Eu acredito que foram feitas com muito carinho porque são tão delicadas! Acredito que as crianças vão ficar muito felizes em receber essas peruquinhas”, disse Regiane Boeira, criadora e mantenedora da casa de apoio.

Instituo Família Boeira

Regiane Boeira, natural do Rio Grande do Sul, começou seu trabalho voluntário através do sonho de seu filho Bruno Boeira. Ele passou por tratamento em Barretos por consequência de um câncer e faleceu aos 16 anos de idade. Desde então, Regiane decidiu preparar um local que atendesse pessoas que buscam o tratamento fora de suas cidades, carinhosamente chamados paizinhos e mãezinhas. Os pacientes são encaminhados pelo Hospital ou por contato pela internet e/ou telefone. “O amor é acima de qualquer coisa. Estamos aqui fazendo a nossa parte. A nossa recompensa vem de Deus”, ressaltou Regiane.

*Texto produzido por Lilia Carvalho, da equipe de comunicação do 7° Jamboree Escoteiro Nacional

Skip to content