A influência do escotismo na vida de quem participa

6 setembro 2016

Um movimento fundado por Robert Baden-Powell, em 1907, popularmente conhecido por BP, se reinventa para poder acompanhar os jovens no muno da tecnologia. Hoje o movimento escoteiro é feito pelos jovens para ensinar aos mais novos as habilidades ensinadas pelas gerações anteriores.

“Depois que eu entrei para o movimento escoteiro eu aprendi a ser uma pessoa mais séria com meus compromissos, mais correta com as pessoas”, conta Vinicius Baranzelli, jovem do ramo sênior.

O escotismo visa trabalhar os ramos de desenvolvimento intelectual, social, físico, afetivo, espiritual e do caráter, o que acaba influenciando inúmeras crianças no decorrer de sua vida escoteira.

Para Jovany de Souza, 18 anos, o movimento escoteiro o ajudou muito no seu comportamento, na disciplina e quebrou muitos preconceitos. “Eu acabei melhorando muito a minha resistência, acabei saindo do sedentarismo”, afirma.

“Eu mudei muito quando estrei para o escotismo, depois de minha filha. Não tinha ideia de o quanto podia aprender com as pessoas o tempo todo. Vivia muito dentro de uma rotina casa-trabalho, hoje vejo que não tem só essas coisas que podemos fazer”, relata a chefe do ramo sênior, Joice Nazário Rita.

Fonte: www.portalsatc.com

Skip to content