Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens

Encontro pela paz vai reunir escolas do Rio de Janeiro no dia 2 de julho

26 de junho de 2017


A campanha #Aqui √Č um Lugar de Paz, mobiliza escolas municipais do Rio de Janeiro em torno do debate e de atividades sobre o enfrentamento √† viol√™ncia e a promo√ß√£o da paz. A Secret√°ria Municipal de Educa√ß√£o do Estado convidou a Regi√£o do Rio e agora busca o apoio de Escoteiros e Volunt√°rios do Brasil inteiro. Confira mais informa√ß√Ķes no convite oficial:

Você é nosso convidado. Venha se juntar às escolas do Rio contra a violência em ato a partir das 9h, nas proximidades do Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial.

A viol√™ncia est√° ferindo de morte a Educa√ß√£o do Rio de Janeiro. Por isso, as 1537 escolas do munic√≠pio v√£o fazer um encontro especial no dia 2 de julho, no Aterro do Flamengo, reunindo milhares de alunos, professores e funcion√°rios em ato pela paz. As escolas querem e precisam construir lugares de paz — sem viol√™ncia, sem racismo, sem preconceito, sem humilha√ß√£o. Junte-se a n√≥s na luta pela constru√ß√£o de lugares de paz no munic√≠pio.

A Secretaria Municipal de Educa√ß√£o acredita que a quest√£o da viol√™ncia se tornou central na vida social do Rio de Janeiro. Do in√≠cio do ano letivo, dia 2 de fevereiro, at√© agora, ela feriu de morte uma de nossas crian√ßas, machucou professores e funcion√°rios da Educa√ß√£o e deixou mais de 104 mil alunos de 320 escolas p√ļblicas sem aulas em bairros e comunidades como Lins, Complexo da Mar√©, Complexo da Penha, Complexo do Alem√£o, Vila Kennedy, Caju, Cidade Alta, Complexo do Chapad√£o, Acari, entre outros.

Diante de tudo que se abateu sobre n√≥s, fomos concebendo a ideia de colocar a for√ßa de nossas escolas na dire√ß√£o da paz, mesmo sabendo que n√£o podemos resolver a quest√£o da viol√™ncia no Rio de Janeiro. Decidimos come√ßar um movimento dentro das escolas para acabar com a viol√™ncia, com o mote “Aqui √© um lugar de paz”.

O primeiro momento dessa campanha √© uma reflex√£o das pr√≥prias escolas diante de si mesmas, para que possamos construir lugares de paz — sem viol√™ncia, sem racismo, sem preconceito, sem humilha√ß√£o. Estamos chamando as nossas 1537 escolas para a constru√ß√£o de lugares de paz no Rio de Janeiro.

N√£o √© uma campanha da Secretaria de Educa√ß√£o para as escolas. √Č uma campanha das escolas. E hoje tamb√©m de toda as secretarias da Prefeitura. Est√£o conosco o pessoal da Sa√ļde, da Cultura, da Comlurb, da Ordem P√ļblica, da Assist√™ncia Social e Direitos Humanos, da Conserva√ß√£o e Meio Ambiente, CET-RIO enfim todos os √≥rg√£os da Prefeitura.

N√£o √© uma campanha para as crian√ßas e jovens. √Č uma campanha das crian√ßas e dos jovens. Este √© o sentido de nossa mobiliza√ß√£o civilizat√≥ria, iniciada no dia 02 de julho no Ato pela Paz, a ser realizado no Aterro do Flamengo, nas proximidades do Monumento aos Mortos na Segunda Guerra Mundial.

Os protagonistas do Encontro ser√£o os nossos alunos ‚Äď e junto com eles, naturalmente, os(as) diretores(as), professores(as), funcion√°rios(as), pais e respons√°veis. As atividades ocorrer√£o de forma espont√Ęnea e descentralizada. Pol√≠ticos de qualquer partido ser√£o bem-vindos, mas na condi√ß√£o de cidad√£os comuns, sem destaque especial. N√£o haver√° nenhuma celera√ß√£o religiosa, nossa rede √© laica e republicana. L√≠deres religiosos tamb√©m ser√£o bem-vindos ‚Äď como cidad√£os comuns, sem destaque especial.

Institui√ß√Ķes cient√≠ficas, como a Fiocruz, grupos organizados, como escoteiros e capoeiristas, a Unesco, Unicef, o Observat√≥rio de Favelas, a Rede da Mar√©, a Comdef- Rio (Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Defici√™ncia) s√£o exemplos de entidades que estar√£o conosco. Haver√° outras. A ades√£o tem crescido.

Nós, da Educação, estamos propondo um caminho, convidando a nós mesmos para melhorar e convidando a sociedade a se juntar nessa luta fundamental para a sobrevivência da cidade do Rio de Janeiro.

Assine você também o manifesto da Educação pela Paz no Rio de Janeiro

O direito à vida é o primeiro e mais importante direito de todos. Os profissionais da educação, os pais e responsáveis, as crianças e jovens estão se mobilizando para defendê-lo.

Come√ßaremos pelas nossas escolas, dizendo em toda a rede que “Aqui √© um lugar de paz”. Cada escola est√° chamada a rever seus valores e pr√°ticas, para que seja, de fato, um espa√ßo de conviv√™ncia sadia entre todos os que a frequentam.

Queremos uma escola sem viol√™ncia, sem humilha√ß√Ķes, sem racismo, sem preconceitos, sem drogas, em que todos se sintam bem.
Levaremos o movimento à sociedade, pedindo paz e justiça social. O Rio de Janeiro está cansado de uma guerra que ameaça e prejudica todos os seus moradores.

A difícil situação que vivemos hoje foi construída ao longo de muitos anos. Não terminaremos com ela da noite para o dia. Será uma longa caminhada. Mas somos muitos: 1.537 escolas, 650 mil alunos, 65 mil professores e funcionários, mais de 1 milhão de pais e responsáveis.
Unidos, formamos uma força poderosa. Pela paz.

Junte-se a nós.

Nosso movimento começa nas escolas e não tem data para terminar. No dia 02 de julho, um domingo, a comunidade escolar do Rio de Janeiro se concentrará de manhã. Será uma festa bonita. Você é nosso convidado.
Venha conosco celebrar a paz. Traga as crian√ßas. √Č por elas, antes de tudo, que estamos lutando.

Mais informa√ß√Ķes:

Assessoria de Comunicação Social da Secretaria Municipal de Educação
Isabella Amorim, Roberta Mattoso, Fabiana Sobral
(21) 2976-2500/2976-2485/2976-2498/2976-2497/989091630
Rose Bahiana ‚Äď (21) 98496-3788
Mais notícias no site:www.rio.rj.gov.br

Fale

Conosco

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens