Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens

Dia Mundial da Doença de Alzheimer reforça atenção aos sintomas e cuidados com a doença

21 de setembro de 2017


Hoje, 21 de setembro, celebra-se o Dia Mundial da Doença de Alzheimer. A doença foi descrita em 1906 pelo médico alemão Alois Alzheimer e afeta funções cognitivas como a memória, fala, atenção e o raciocínio lógico. Entre os principais fatores de risco estão idade, genética de hereditariedade.

A Campanha Mundial de Conscientização deste ano, promovida pela Alzheimer’s Disease International (ADI), apresenta o tema “Lembre-se de mim” justamente para motivar o reconhecimento dos sintomas e a busca por informações e apoio profissional. No Brasil e no mundo, a população está envelhecendo e os cuidados devem ser redobrados. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2009, o País já contava com uma população de cerca de 21 milhões de pessoas de 60 anos ou mais, e estima-se que cerca de 1.2 milhão delas sofram de Alzheimer.

Essa é uma doença que evolui continuamente e é possível identificar etapas no seu desenvolvimento. Por exemplo, no início a pessoa apresenta lapsos de memória, como o esquecimento de compromissos; tem dificuldade em encontrar as palavras corretas para sua fala, fazer julgamentos e tomar decisões e torna-se confusa. Na fase intermediária, todos estes sintomas são agravados e o enfermo passa a não reconhecer seus familiares, esquece seu nome e se sente desorientado dentro de sua própria casa, além de necessitar de ajuda para realizar atividades da vida diária como tomar remédios. Já no estágio considerado grave ou avançado, a pessoa geralmente tem a perda total da capacidade de memória, fica acamada e necessita de ajuda para tudo, apresenta dificuldade para engolir, seus membros podem atrofiar e enfrenta muita dificuldade para falar.

Portanto, atenção aos sinais de alerta:
 
• Problemas de memória que afetam atividades diárias e/ou trabalho;
• Dificuldade na realização de tarefas habituais e na comunicação;
• Desorientação no tempo e no espaço;
• Diminuição da capacidade de juízo, crítica e raciocínio;
• Guardar e/ou colocar objetos em lugares errados;
• Alteração frequentes no humor e comportamento;
• Mudança na personalidade;
• Perda da iniciativa para fazer as coisas.
 

Vale lembrar que nem toda perda de memória está relacionado ao Alzheimer. Portanto se você possui algum membro familiar com os sintomas, faça uma consulta a um médico.
 

Principais cuidados na prevenção

O Alzheimer não tem cura conhecida, entretanto existem recomendações para sua prevenção. Como o principal aspecto da doença é a perda de memória e seu impacto no dia a dia, atividades de estimulação cognitiva, física e social são fortemente indicadas. Leituras, palavras-cruzadas, alimentação balanceada e exercícios físicos regulares são aliados no combate à doença. E, apesar da doença aparecer a partir dos 60 anos, deve ser parte da rotina de todos.

Fontes: IBGE, Instituto Alzheimer Brasil, Alzheimer’s Disease International.

Fale

Conosco

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens