Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens

No dia Internacional da Solidariedade, confira a entrevista elaborada pela WOSM sobre o Projeto Integra Roraima

31 de agosto de 2018


O dia 31 de Agosto √© marcado internacionalmente por uma das caracter√≠sticas mais belas da sociedade mundial: a solidariedade. Institu√≠da no ano 2000 pela Assembleia Geral das Na√ß√Ķes Unidas, a ONU, o dia tem como objetivo fortalecer ideais de solidariedade entre as na√ß√Ķes, povos e indiv√≠duos, priuncipalmente em situa√ß√Ķes dif√≠cieis, independente da origem. A solidariedade tamb√©m foi reconhecida como um valor fundamental e essencial para as rela√ß√Ķes internacionais no s√©culo 21.

Em celebra√ß√£o √† este dia, apresentamos uma entrevista feita pela Organiza√ß√£o Mundial do Movimento Escoteiro (WOSM) com a 2¬į vice-presidente dos Escoteiros do Brasil, Ilka Denise Rosseto Gallego Campos, sobre o Projeto Integra Roraima – um exemplo do objetivo central do Dia Internacional da Solidariedade.

Desde o dia 10 de agosto, a plataforma de doa√ß√Ķes da Organiza√ß√£o Mundial do Movimento Escoteiro (WOSM) abriga um projeto de financiamento coletivo em prol de migrantes venezuelanos que vieram para o Brasil. Este projeto foi lan√ßado para captar recursos e viabilizar o desenvolvimento das atividades escoteiraspara crian√ßas, adolescentes e jovens venezuelanos, acampados em Roraima, e vivendo em situa√ß√£o de vulnerabilidade.

РNos diga um pouco mais sobre você, nome, o que você faz no escotismo, histórico profissional.
Meu nome √© Ilka Denise Rosseto Gallego Campos. Sou a 2¬™ vice-presidente dos Escoteiros do Brasil e Diretora de Gest√£o Estrat√©gica. Profissionalmente, sou bi√≥loga e pedagoga, tendo lecionado por muitos anos e trabalhado em Institui√ß√Ķes de Ensino na √°rea de Estrutura e Funcionamento e Projetos Pedag√≥gicos.

– Como o projeto come√ßou? Quando foi o momento decisivo que voc√™ disse ‚Äún√≥s precisamos fazer algo sobre isso‚ÄĚ?
Ap√≥s uma s√©rie de reportagens que foram veiculadas pela imprensa brasileira no m√™s de mar√ßo deste ano, sobre as condi√ß√Ķes de vida dos migrantes venezuelanos no Estado de Roraima, toda a Diretoria dos Escoteiros do Brasil ficou sensibilizada com a situa√ß√£o das crian√ßas, adolescentes e jovens. E, como oferecemos educa√ß√£o n√£o formal atendendo justamente esta faixa et√°ria, por meio de um sistema de valores, buscando construir um mundo melhor onde as pessoas se realizem como indiv√≠duo e desempenhem um papel construtivo na sociedade, sentimos que n√£o poder√≠amos ficar alheios ao que estava acontecendo com nossos pequenos e jovens irm√£os venezuelanos. Decidimos ent√£o come√ßar o Projeto Integra Roraima para oferecer Escotismo a eles, dando-lhes um pouco de alegria e esperan√ßas em um futuro melhor.

РQuantos voluntários estão envolvidos com esse projeto? Com quantas crianças e jovens vocês estão trabalhando?
Toda a nossa Diretoria, composta por 8 pessoas, mais 3 escotistas de Roraima estão envolvidos atualmente no projeto. Esperamos atender no mínino 40 crianças, adolescentes e jovens, inicialmente.

РPor que o projeto é tão importante para a UEB?
Porque segundo o nosso Projeto Educativo, n√£o podemos fazer Escotismo dissociado na comunidade em que estamos inseridos. Estamos envolvidos com as quest√Ķes sociais e n√£o podemos deixar de enxergar esta situa√ß√£o nova em nosso pa√≠s resultante de um ciclo migrat√≥rio. Dentre os migrantes temos as crian√ßas, adolescentes e jovens, vivendo situa√ß√Ķes de vulnerabilidade e que podem ser minimizadas com a nossa pr√°tica escoteira. O nosso M√©todo e Programa Escoteiros t√™m muito a oferecer e contribuir para a educa√ß√£o deles. A ideia √© abrir Se√ß√Ķes Aut√īnomas dos diferentes Ramos com os quais trabalhamos, para oferecer o Escotismo junto aos acampamentos onde eles vivem.

– Quais s√£o os maiores desafios que o projeto est√° encarando agora?
S√£o v√°rios os desafios, dentre eles: as quest√Ķes da l√≠ngua, j√° que eles falam espanhol e a maioria deles n√£o encontra vagas nas Escolas P√ļblicas da Regi√£o onde poderiam aprender o portugu√™s; a necessidade de mais recursos financeiros para implementar e ampliar o projeto; a aceita√ß√£o dos migrantes pela comunidade local; a localiza√ß√£o geogr√°fica de Roraima no Brasil, distante dos grandes centros e do nosso Escrit√≥rio Escoteiro Nacional.

РQuais são os próximos passos, planos futuros para esse projeto? O que você espera que aconteça quando esse projeto acabar?
Os pr√≥ximos passos s√£o a instala√ß√£o e a operacionaliza√ß√£o da primeira Se√ß√£o Aut√īnoma em Roraima e posteriormente a instala√ß√£o de novas Se√ß√Ķes. Esperamos que com as Se√ß√Ķes funcionando possamos fazer a avalia√ß√£o do trabalho realizado e concluirmos que estamos fazendo a diferen√ßas na vida daquelas crian√ßas, adolescentes e jovens. Temos no M√©todo Escoteiro as ferramentas para o acompanhamento individual de cada um dos envolvidos. Desta forma, poderemos tirar li√ß√Ķes aprendidas desta experi√™ncia.

– O que o projeto impactou na sua vida?
A alegria que vem da possibilidade de Servir e oferecer a aquelas crianças, adolescentes e jovens oportunidades melhores na vida, através do seu desenvolvimento nas diferentes áreas e ainda, poder integrá-los na sociedade, respeitando os seus direitos como pessoa.

O projeto fica dispon√≠vel na plataforma at√© o dia 29 de setembro, com a meta de levantar 3 mil d√≥lares. Para mais informa√ß√Ķes, acesse a p√°gina do projeto.

Fale

Conosco

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens